Mais de 30 cristãos presos em protesto no Egito

Mais de 30 cristãos egípcios foram presos e 24 soldados da tropa de choque da polícia ficaram feridos durante um protesto furioso contra a conversão forçada de uma mulher ao Islã - acusação negada pelas autoridades egípcias.Milhares de cristãos tomaram o complexo da catedral copta ortodoxa do Cairo, carregando cruzes de madeira, gritando slogans e exigindo que as autoridades libertassem a mulher. Segundo os manifestantes, Wafaa Constantine, mulher de um padre, foi seqüestrada e forçada a aceitar o islamismo.Os protestos tiveram início no domingo, quando se espalhou o boato de que Wafaa, uma funcionária pública, havia sido forçada a se converter pelo chefe. A manifestação atingiu o clímax quando o papa Shenouda III deixou a catedral, depois de receber a promessa de que a mulher seria liberada na quarta-feira. Mas o retorno acabou adiado, de acordo com o bispo Yanous, um assessor próximo do papa.Milhares de policiais de choque cercaram a área, enquanto os manifestantes começavam a arremessar pedras. Os dois lados estavam separados pelos portões da catedral. Testemunhas dizem que a polícia jogava pedras de volta na multidão. Entre os feridos há um padre, Matyas Abdel Maseh. "O governo está atacando os cristãos", afirmou.De acordo com um representante do Ministério do Interior, Wafaa foi levada para um monastério do Cairo, onde uma comissão investiga se ela foi forçada a abraçar o Islã ou se se converteu espontaneamente, para abandonar o marido e se casar com o chefe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.