Mais de 300.000 muçulmanos iniciam marcha no Iraque

Batendo no peito e clamando por vingança, mais de 300.000 muçulmanos deram início, neste domingo, a uma marcha de dois dias e quase 200 km rumo à cidade sagrada de Najaf, para lamentar a morte, num atentado terrorista, de um dos mais importantes líderes xiitas do país. Os fiéis seguiam um caminhão que carrega o esquife simbólico do aiatolá Mohammed Baqir al-Hakim, um clérigo moderado e adversário de Saddam Hussein.Al-Hakim morreu na explosão de sexta-feira, que atingiu o mais importante santuário xiita do Iraque a mesquita do Imã Ali. Autoridades disseram que só foi possível encontrar, dos restos mortais do aiatolá, uma mão, relógio, a aliança de casamento e a caneta.?Nossa vingança será dura com os assassinos?, dizia um dos muitos cartazes carregados pela multidão. A polícia iraquiana, que investiga o atentado, disse ter prendido 19 suspeitos - muitos estrangeiros, e todos com ligações confessas com a Al-Qaeda. No entanto, muitos seguidores de Al-Hakim acusam forças leais a Saddam Hussein e a ocupação americana do Iraque pela morte. Os EUA teriam falhado em garantir a segurança do país.A procissão começou no Santuário al-Kadhimiya, em Bagdá, e deve crescer durante seu caminho rumo ao sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.