Mais de 4 mil palestinos estão ilhados na fronteira do Egito com Gaza

Mais de 4 mil palestinos estão presos em duas cidades perto da fronteira do Egito com Gaza, impedidos de retornar à suas casas em meio à ofensiva israelense na região, informou um funcionário das forças de segurança egípcias neste sábado.O chefe do Conselho municipal da cidade de Rafah, Khairi Awwad, disse que mais de 4 mil palestinos estão na cidade, na fronteira com Gaza, e na cidade de El Arish, cerca de 50 quilômetros ao oeste.A maioria deles são palestinos que trabalham em países do Golfo e voltam para Gaza passando pelo Egito para as férias. "Estamos sofrendo há cinco dias", disse o professor Mohammed Awadallah, de 56 anos. Awadallah veio da Arábia Saudita com sua esposa e sete filhos para passar as férias com parentes em Gaza.A fronteira do Egito com Gaza foi aberta esporadicamente na semana passada, desde que militantes ligados ao Hamas seqüestraram o soldado israelense Gilad Shalit e em represália Israel lançou uma ofensiva militar na região. Situação precária Centenas de palestinos passaram várias noites dormindo no asfalto no lado egípcio da fronteira. Cerca de 400 pessoas se refugiaram dentro do terminal da alfândega. Muitos possuem o carimbo de saída do Egito mas não podem entrar no território palestino.Uma grande tenda foi montada fora do terminal para proteger mulheres e crianças do escaldante sol do deserto. Funcionários egípcios distribuíram comida aos refugiados que estão no local há três dias.Sem dinheiro para pagar um hotel, Harbah Salem e seu marido estenderam um cobertor sobre o concreto quente para seus quatro filhos, todos cegos por causa de um defeito de nascença. "Estamos sofrendo com picadas de insetos, o sol quente e o vento frio que sopra durante a noite", afirmou.Muitos hotéis da cidade de El Arish estão cheios e os palestinos ilhados são vistos em praças públicas e restaurantes, carregando suas bagagens nas costas.Moradores das cidades egípcias dizem que podem ouvir o som dos jatos israelense e helicópteros sobrevoando a região da fronteira. O Egito distribuiu cerca de 2.500 soldados em Rafah, apoiados por veículos blindados, disse o chefe de polícia da cidade Ahmed el-Masri."Ainda estamos em alerta de segurança" disse ele. Apesar disso, o toque de recolher foi revogado. Segundo el-Masri, as autoridades egípcias estão conduzindo operações ao logo da área da fronteira, para assegurar que o soldado israelense não seja transportado para o Egito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.