Mais de 4 mil terroristas morreram no Iraque, diz líder da Al-Qaeda

O novo líder da Al-Qaeda no Iraque divulgou nesta quinta-feira uma gravação de áudio num site da internet afirmando que mais de 4 mil terroristas estrangeiros foram mortos no Iraque desde a invasão americana de 2003. Esta é a primeira avaliação conhecida dos terroristas no Iraque sobre suas baixas."Foi derramado no Iraque o sangue de mais de 4 mil estrangeiros que vieram para lutar", diz o homem, identificando-se como Abu Hamza al-Muhjair - também conhecido como Abu Ayyub al-Masri - o líder da Al-Qaeda no Iraque.Al-Masri sucedeu no comando do grupo Abu Musab al-Zarqawi, morto num ataque aéreo dos EUA ao norte de Bagdá em junho.Na gravação, al-Masri exorta os muçulmanos a fazerem do mês sagrado do Ramadã um "mês da guerra santa"."Congratulo a nação muçulmana na ocasião do mês sagrado do Ramadã, mês da jihad (guerra santa). Peço a Deus para torná-lo um mês de honra e vitória para os muçulmanos", afirma a voz.O Ramadã teve início no fim de semana no mundo islâmico.Al-Masri conclama os insurgentes no Iraque a capturar ocidentais."Apelo a todos combatentes sagrados na terra do Iraque para promoverem todos os esforços neste mês sagrado para que Deus nos capacite a capturar alguns cachorros ocidentais a fim de trocá-los por nosso xeque e tirá-lo de sua escura prisão", diz a voz.Ele se referia ao xeque cego egípcio Omar Abdel-Rahman, preso nos Estados Unidos desde 1995 por conspirar para explodir marcos da cidade de Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.