Mais de 400 pessoas são presas em protesto na Argélia

Um ativista de direitos humanos informou que mais de 400 pessoas foram detidas durante a marcha pró-democracia que levou milhares às ruas da capital argeliana. Ali Yahia Abdenour, que dirige a Liga Argeliana para Defesa dos Direitos Humanos, disse que mulheres e jornalistas estrangeiros estavam entre aqueles que foram presos nas manifestações deste sábado, que acontecem um dia após uma revolta popular ter derrubado o regime autocrático do Egito.

AE, Agência Estado

12 de fevereiro de 2011 | 14h25

Abdenour afirmou que cerca de 28 mil membros das forças de segurança na Argélia foram designados para bloquear a marcha e dispersar a multidão nas ruas de Argel. Organizadores da marcha disseram que 10 mil pessoas compareceram, mas autoridades estimam apenas 1.500. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliademocraciamarcha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.