Mais de 50 mil deixam área inundada entre a China e a Coreia do Norte

Cheia do rio Yalu, causada pelas chuvas, deixa três desaparecidos

Efe

21 de agosto de 2010 | 07h54

 

PEQUIM - O rio Yalu, fronteira natural que separa China e Coreia do Norte, transbordou por conta das intensas chuvas, inundou parte da cidade chinesa de Dandong, provocou o desaparecimento de três pessoas e forçou a retirada de 51 mil moradores da região.

 

Segundo informou deste sábado, 21, da agência oficial Xinhua, a inundação derrubou 230 imóveis e cortou a energia elétrica e as comunicações em algumas partes da cidade, que fica na província de Liaoning.

 

A força da água do rio Yalu rompeu um dique próximo a Dandong por volta das 7h deste sábado (20h de sexta-feira em Brasília), mas uma segunda barragem evitou a inundação da zona central da cidade. No entanto, não se sabe se as inundações pelo transbordamento do Yalu afetaram também o lado norte-coreano.

 

A passagem entre Dandong e Sinujiu, na Coreia do Norte, é a principal via de comunicação por terra com o exterior e uma rota comercial vital para o isolado regime norte-coreano.

 

A zona nordeste da China acumula nos últimos dias precipitações de mais de 600 litros de água por metro quadrado, o que fez o caudal dos rios aumentar até níveis extremos.

 

O Centro Nacional de Meteorologia da China alertou neste sábado que as chuvas fortes continuarão nas próximas 24 horas em Liaoning e na província vizinha de Jilin.

 

O país asiático vive sua pior temporada de inundações em 12 anos, com mais de 3.400 mortos e desaparecidos desde o início das chuvas, em maio, com danos comparáveis aos causados pelas cheias dos rios Yang Tsé e Songhua em 1998, que ocasionaram mais de 4.000 mortes e deixaram 140 milhões deslocados.

Tudo o que sabemos sobre:
YaluChinaenchenteschuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.