Mais de 50 países combatem o Estado Islâmico, diz Kerry

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou que mais de 50 países se uniram à coalizão para combater os extremistas do grupo Estado Islâmico. Rodeado pelo presidente do Iraque, Fuad Masum, e o ministro das Relações Exteriores do país, Ibrahim Al Jaafari, Kerry falou durante horas após a missão liderada pelos Estados Unidos realizar os primeiros ataques aéreos contra os militantes na Síria.

Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2014 | 17h14

Segundo ele, a luta será conduzida pelos países na região. O secretário também afirmou que os EUA "não permitirão que a geografia e fronteiras impeçam o país de tomar ações" contra o Estado Islâmico. "Nós vamos responsabilizá-los por suas atrocidades grotescas", Kerry disse.

"Nós não permitiremos que eles encontrem um porto seguro, onde eles achem que possam ter um santuário sem culpa", ele prometeu. Se não for monitorado, adverte ele, o grupo pode se tornar uma ameaça aos países. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAKerryataques aéreos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.