Mais de 500 guerrilheiros se rendem sob anistia na Chechênia

Mais de 500 guerrilheiros depuseram suas armas e receberam anistia na Chechênia e em outras regiões do Cáucaso Norte. O prazo ia até segunda, dia 15, para depor as armas e receber uma anistia decretada em setembro de 2006 pela Câmara de Deputados da Rússia (Duma).A medida também se estende aos efetivos das forças federais russas que cometeram delitos durante operações antiterroristas no Cáucaso Norte."Estamos elaborando os dados definitivos sobre os resultados do período de anistia decretado pela Duma", disse à agência de notícias "Interfax" o porta-voz de Ministério do Interior checheno, Magomed Deniev.O Comitê Nacional Antiterrorista (CNA) da Rússia comunicou que um total de 546 membros de grupos armados ilegais que atuavam no Cáucaso Norte se entregaram às autoridades e receberam anistia.Segundo a lei de anistia, não poderão beneficiar-se com a medida aqueles guerrilheiros que tenham cometido delitos "especialmente graves", os militares culpados de roubo e tráfico de armas e os estrangeiros ou pessoas sem cidadania.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.