Mais de 500 mísseis atingiram o Iraque em 24 horas, diz Pentágono

Os navios e aviões de guerra lançaram 500 mísseis e várias centenas de bombas teleguiadas no Iraque nas últimas 24 horas, informou o Pentágono neste sábado. E o chefe do Estado-Maior britânico, almirante Michael Boyce, disse que mais de 3 mil mísseis foram disparados pela força de coalizão nas incursões das noites de quinta e sexta-feira no país árabe. Ele explicou que nos ataques contra Bagdá a Força Aérea britânica usou pela primeira vez um novo sistema missilístico denominado Storm Shadow. O bombardeio maciço realizado na noite de sexta-feira em Bagdá, o Dia A - o mais pesado da atual campanha e batizado pelo Pentágono Choque e Pavor - teve como principal objetivo desestruturar a estrutura de comando de Saddam Hussein e isolar o ditador de seu "círculo íntimo", além de neutralizar armas de destruição em massa, disse o governo britânico. As autoridades iraquianas disseram hoje que esses bombardeios deixaram 3 mortos e 207 feridos. Com a estratégia "choque e pavor", o Pentágono busca obter uma rendição a curto prazo. "Foi atacada a infra-estrutura de comunicações", disse o ministro britânico de Defesa, Geoff Hoon, em Londres." Na ofensiva foram usados mísseis Tomahawk disparados de submarinos britânicos. Hoon disse que os ataques foram um claro sinal ao regime iraquiano de que não poderá continuar "exercendo sua tirania". Os bombardeios deixaram claro à população que os dias desse governo estão contados, acrescentou ele. Um funcionário do Pentágono disse anonimamente que a coalizão anglo-americana lançou na noite de sexta-feira mil ataques aéreos e mil mísseis de cruzeiros contra o Iraque, 320 desses mísseis sobre Bagdá e arredores. O funcionário americano disse que os ataques foram dirigidos a instalações de comando e controle do governo iraquiano, de segurança, além de outras relacionadas com armas de destruição em massa e do sistema integrado de defesa aérea. Segundo o funcionário, em um período de 24 horas na sexta-feira, a coalizão anglo-americana atacou 1.500 alvos com bombas de precisão e mísseis de cruzeiro. Os bombardeiros silenciosos B-2 voaram 38 horas de ida e volta da Base Aérea Whiteman (no Estado americano de Missouri) para lançar as bombas guiadas por satélite no território iraquiano. ?Brincadeira?Bombardeiros B-52, baseados na base aérea britânica de Fairford e na Ilha de Diego García, no Oceano Índico, lançaram mísseis de cruzeiro convencionais. Também participaram dos ataques bombardeiros B-1, caças F-15, F-16, F/A-18, A-10 Tunderbolt e o "invisível" F-117 Stealth. Na manhã de hoje, rolos de fumaça saíam de vários edifícios atacados na capital, entre eles o do Ministério do Petróleo, do serviço de inteligência e do Partido Baath, de Saddam Hussein, situadas no coração de uma área civil. "As primeiras duas noites foram brincadeira comparadas com a de hoje", disse um taxista. "Então isso é o que eles querem dizer com chocar e apavorar. Isto é realmente chocante e terrível." Nas ruas da capital, quase desertas, os moradores trocavam as últimas notícias sobre a guerra. "O que foi bombardeado?; Como está a defesa no sul?; Será que os tanques americanos chegarão a Bagdá?", eram algumas das perguntas feitas pela população. Alguns moradores da capital vêm obtendo informações por meio das emissoras de rádio estrangeiras de curta freqüência. A TV e a rádio estatais informam de forma esporádica sobre a guerra e os iraquianos sabem que as informações são duvidosas. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.