Mais de 500.000 protestam contra a guerra no Sudão

Mais de meio milhão de pessoas saíram às ruas da capital sudanesa, Cartum, para protestar contra uma possível guerra dos Estados Unidos contra o Iraque. "Bush é Guerra e Guerra é Bush!" gritavam os manifestantes, entre eles mulheres com bebês no colo e representantes da maioria dos partidos políticos e sindicatos.Milhares de policiais da tropa de choque acompanharam a passeata que se dirigiu até o escritório das Nações Unidas em Cartum, onde os manifestantes entregaram uma carta aberta ao secretário-geral Kofi Annan.A carta pede a ele que tente evitar a guerra, acrescentando que Annan "carregará a maldição da história" se seguir o caminho do "eixo do mal tripartite: América, Grã-Bretanha e Satã". No ano passado, o presidente George W. Bush usou a frase "eixo do mal" para condenar Iraque, Irã e Coréia do Norte por buscarem armas de destruição em massa.Um dos organizadores da passeata, Fatahi Khalil, líder da Organização Popular Sudanesa, disse que a manifestação uniu "virtualmente todos os partidos políticos, sindicatos e setores" do país.Os manifestantes também pediram para que sejam boicotados produtos americanos e israelenses, queimaram bandeiras dos EUA e carregaram fotos do presidente iraquiano, Saddam Hussein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.