Mais de 60 mortos em ataques aéreos americanos

Mais de 60 pessoas morreram no Iraque em bombardeios aéreos americanos contra duas cidades dominadas por rebeldes, ao mesmo tempo em que tropas dos EUA e iraquianas assumiam o controle de uma terceira. As ações fazem parte de uma campanha para impor o controle governamental sobre as cidades e conter ataques contra forças dos Estados Unidos. A maioria das mortes ocorreu em Tal Afar, uma das várias cidades que oficiais americanos admitiram, nesta semana, haver caído nas mãos de insurgentes, apesar da restauração da soberania parcial do Iraque em 28 de junho. Num comunicado, o Comando Central dos EUA afirmou que as operações militares em Tal Afar visam livrar a cidade de "um grande número de terroristas que expulsaram as forças de segurança iraquianas locais nas últimas semanas". Segundo os militares dos EUA, 57 insurgentes foram mortos no ataque. O diretor de saúde da província, Rabie Yassin, disse que 27 civis morreram e 70 ficaram feridos. Não ficou claro se o Exército americano contou esses civis como insurgentes.Nove pessoas, entre elas duas crianças, foram mortas num ataque aéreo em Faluja contra uma casa que, militares dos EUA acreditam, estava sendo usada por aliados do líder terrorista jordaniano Abu Musab al-Zarqawi.Forças americanas e iraquianas entraram hoje na cidade de Samarra pela primeira vez em meses, depois de acertar um acordo com líderes locais para restaurar pacificamente o controle do governo central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.