Mais de 600 iraquianos já morreram em Faluja

Mais de 600 iraquianos morreram na semana passada em Faluja desde que os marines americanos iniciaram o cerco contra os insurgentes sunitas,disse o chefe do hospital central da cidade neste domingo. A estatística sobre as mortes foi levantada a partir dos números fornecidos pelas quatro principais clínicas nos arredores e pelo Hospital Geral de Faluja, que contaram os corpos, disse o diretor Rafie al-Issawi.A partir das baixas da segunda-feira passada, quandocomeçou a ofensiva americana na região, os corpos foramenterrados em dois campos de futebol da cidade, num dos quais umrepórter da Associated Press pôde ver fileiras seguidas desepulturas improvisadas. Além disso, segundo al-Issawi, háinformações de que muitos estão enterrando seus mortos em suascasas, sem trazê-los às clínicas.Interrogado sobre as baixas entre os iraquianos, otenente-coronel Brennan Byrne, da Marinha dos EUA, disse estimarque 95% desses mortos eram combatentes, e que os fuzileirosnavais "são treinados para serem precisos em seu poder defogo... e são muito bons no que fazem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.