JONNE RORIZ/AE
JONNE RORIZ/AE

Mais de 80% dos americanos querem mais controle para compra de armas, aponta estudo

Pesquisa do Pew Research Center revela que metade dos americanos qualifica a violência armada como um problema muito grande no país

O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 07h00

WASHINGTON - Mais de 80% dos americanos querem aumentar ligeiramente os controles relacionados à compra e à capacidade de portar armas de fogo, mas o país segue muito dividido sobre o tema, apesar de 44% dos cidadãos afirmarem conhecer alguém que tenha sido atingido por um disparo.

Segundo uma pesquisa publicada recentemente pelo Pew Research Center e desenvolvida entre março e abril, metade dos americanos qualifica a violência armada como um problema muito grande no país, mas essa percepção está muito dividida entre os que possuem armas e os que não têm, e entre republicanos e democratas.

O maior ponto de consenso está em uma série de possíveis limitações à compra e porte de armas que até agora não tiveram sucesso no Congresso, em parte em razão da influência da poderosa Associação Nacional de Rifles (NRA).

No total, 89% dos consultados querem que haja medidas para evitar que pessoas com doenças mentais possam comprar armas, enquanto 84% defendem controles de antecedentes para os que compram em feiras e vendedores privados, agora isentos.

Além disso, 83% apoiam a proibição de venda de armas àqueles que integram listas governamentais de vigilância por atividades suspeitas ou de pessoas que estão proibidas de voar em companhias aéreas comerciais.

Novas ideias suscitam também um apoio majoritário, ainda que mais dividido, entre os quem têm e os que não têm armas. A criação de uma base de dados federais para controlar a venda de armamentos é respaldada por 71%, e o veto aos cartuchos com alta capacidade, por 65% das pessoas.

Quando questionados sobre a possibilidade de reforçar a legislação de armas, o apoio é menor:  52% dos entrevistados afirmaram que as leis a respeito deveriam ser mais estritas, enquanto 30% opinaram que estão boas como estão e 18% querem suavizá-las.

A pesquisa diz ainda que 72% dos americanos já dispararam uma arma de fogo na vida, 48% cresceram em uma casa onde havia armas, e 59% têm amigos que possuem armamentos. Contudo, apenas 30% dos americanos dizem ter uma arma.

Entre os que as possuem, 66% asseguram que contam com várias delas, 73% dizem que não se imaginam sem, e 74% afirmam que o objeto é "essencial" para sua sensação pessoal de liberdade.

A pesquisa foi realizada entre março e abril com 3.930 americanos, incluindo 1.269 proprietários de armas, e tem uma margem de erro de 2,8 pontos porcentuais para mais ou para menos. / EFE

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosArmaDebate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.