Mais de 950 pessoas invadem presídio na Venezuela

Mais de 950 parentes de detentos se recusam a deixar uma prisão na Venezuela para exigir que os julgamentos dos prisioneiros ocorra com mais rapidez. A ministra de Serviços Penitenciários, Iris Varela, disse que os parentes decidiram "se sequestrar" nas unidades I e II do presídio de Yare, localizadas a cerca de 70 quilômetros a sudoeste da capital, Caracas, durante os feriados de fim de ano.

AE, Agência Estado

04 de janeiro de 2012 | 14h10

São cerca de 800 mulheres e 150 crianças e adolescentes, assim como alguns homens. Varela disse que o presidente Hugo Chávez ordenou que as autoridades negociem de forma pacífica com os manifestantes. Segundo a rádio estatal, Varela alegou na terça-feira que grupos de direitos humanos, financiados pela CIA, estão tentando usar a ocupação para "desestabilizar o país".

Na Venezuela existem 34 penitenciárias que abrigam cerca de 47 mil pessoas, de acordo com registros oficiais. Mas eles foram construídos para atender cerca de 12 mil detentos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelapresídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.