Mais de mil refugiados sírios cruzam fronteira com Turquia em apenas 1 dia

Refugiados foram alocados em um acampamento na cidade fronteiriça de Yayladagi

Efe

09 de junho de 2011 | 09h25

ANCARA - Mais de mil sírios atravessaram nas últimas 24 horas a fronteira da Síria com a Turquia para escapar da repressão promovida pelo regime político do líder Bashar al Assad, informa nesta quinta-feira, 9, a agência semioficial de notícias "Anadolu".

 

Veja também:

especialA revolução que abalou o Oriente Médio

 

 
Os sírios fogem de uma possível represália do Governo Assad na localidade de Jisr al-Shugur, a cerca de 20 quilômetros da fronteira turca, onde aparentemente 120 policiais morreram.

 

 

Os refugiados foram destinados a um acampamento criado na cidade fronteiriça turca de Yayladagi, aonde também foram enviadas ambulâncias para cuidar de possíveis feridos.

 

Um porta-voz municipal disse que, desde quarta-feira, 1.050 sírios cruzaram a fronteira. Eles foram amparados pela organização civil Luna Roja e recebem três refeições por dia.

 

Desde quinta-feira da semana passada, já são 1.577 pessoas que buscaram refúgio na Turquia.

Devido ao agravamento da situação na Síria e ao crescente interesse da imprensa estrangeira no assunto, o Ministério das Relações Exteriores turco decidiu estabelecer um centro de imprensa em Yayladagi, onde fica o campo de refugiados sírios.

 

A agência "Anadolu" ressaltou que o número de sírios que fugiram à Turquia aumentou enormemente desde quarta-feira, depois de o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmar que as portas da Turquia não se fecharão ao povo sírio.

 

"Neste momento, fechar nossas portas (aos sírios) está descartado. Os eventos na Síria são tristes e nós os acompanhamos com preocupação", comentou Erdogan, enquanto seu ministro de Exteriores, Ahmet Davutoglu, ressaltou que a Turquia se prepara para uma entrada maciça de sírios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.