Mais dez mineiros devem deixar hospital; saúde mental preocupa

Três já deixaram o hospital; ministro prevê que mineiros 'vão sofrer' na adaptação à 'nova vida'.

BBC Brasil, BBC

15 de outubro de 2010 | 13h48

Condições psicológicas dos mineiros são tema de preocupação

Ao menos dez mineiros devem receber, nesta sexta-feira, alta do hospital onde estão sendo tratados, na cidade de Copiapó, no norte do Chile. A saúde mental dos homens, no entanto, é uma preocupação crescente das autoridades.

Segundo a imprensa chilena, Jorge Montes, vice-diretor médico do hospital, disse que "a situação hoje é bastante satisfatória, tudo saiu como esperávamos. Assim, asseguramos que teremos algumas altas, de ao menos dez mineiros".

Na quinta-feira, outros três mineradores já haviam deixado o hospital e voltado para casa, de um total de 33 resgatados na véspera da mina de San José.

Problemas respiratórios e oftalmológicos apresentados por alguns pacientes "estão sob controle e não vão motivar uma estadia mais longa no hospital", agregou Montes.

Na quinta-feira, Montes havia dito que todos os mineiros devem ser liberados até domingo, inclusive os com estado de saúde mais debilitado, e que alguns só terão de continuar usando óculos de sol quando expostos à luz intensa.

Condições psicológicas

Do ponto de vista psicológico, porém, as autoridades acreditam que a situação deve continuar complicada para os mineiros.

"Estamos entregando pessoas frágeis às famílias", disse nesta sexta-feira o ministro da Saúde chileno, Jaime Mañalich.

"Prevemos que cada um dos mineiros vai sofrer, do ponto de vista psicológico. Terão que se adaptar a uma nova vida. Estamos preparados para estar com eles por pelo menos seis meses, apoiando-os."

Segundo a rádio chilena ADN, um dos mineiros, por exemplo, teve pesadelos durante a noite no hospital e pensou que ainda estava preso na mina.

E o mineiro Mario Sepúlveda, que sofre de males respiratórios, está também sendo diagnosticado pela equipe de saúde mental do hospital.

O psicólogo que tratou os mineiros, Alberto Iturra, disse nesta sexta-feira que os homens "necessitam de um período de descanso e adaptação".

Alguns, informou, estão "muito esgotados, caso em que a sensibilidade aumenta quase ao máximo e a tolerância cai quase ao mínimo".

Iturra ressaltou, no entanto, que acha que "em geral eles terão êxito" em superar os problemas psicológicos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.