Mais dez mortos em onda de violência na Índia

Supostos rebeldes separatistas atacaram o mercado de uma aldeia no nordeste da Índia, matando dez pessoas e ferindo sete, informa a polícia. Trata-se do incidente mais recente em uma série de ações violentas que deixou dezenas de mortos na região. Em quatro dias de violência, 73 pessoas morreram e cerca de 200 ficaram feridas em diversos ataques contra alvos que incluíram uma estação ferroviária, um mercado lotado e uma plantação de chá. Os ataques têm lugar no nordeste indiano, uma região onde vivem diversas etnias e onde quase 40 grupos separatistas estão ativos, alguns deles desde antes de a Índia ter conquistado a independência da Grã-Bretanha, em 1947. Nesta terça-feira, um grupo de supostos militantes separatistas entrou na aldeia de Jalabala, no Estado indiano de Assam, e abriu fogo indiscriminadamente contra pessoas que trabalhavam e faziam compras no mercado local, disse L. R. Bishnoi, comandante da polícia do distrito de Dhubri. Jalabala fica a cerca de 300 quilômetros de Gauhati, capital de Assam. Bishnoi acusou rebeldes da Frente Nacional Democrática de Bodoland, que luta pela criação de um Estado independente para a tribo Bodó. O grupo militante bodo reivindicou a autoria de alguns dos ataques dos últimos quatro dias. A onda de violência começou no sábado. Domingo marcou o 18º aniversário da fundação da Frente Nacional Democrática de Bodoland.

Agencia Estado,

05 Outubro 2004 | 16h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.