Mais dois soldados dos EUA morrem no Iraque

As forças norte-americanas que ocupam oIraque lançaram ataques aéreos e terrestres contra a guerrilhairaquiana na região de Bagdá, no terceiro dia da chamadaOperação Martelo de Ferro. Um coronel da 1ª Divisão Blindada doExército dos EUA informou que um dos alvos dos ataques destanoite era uma fábrica de munições desativada "que é um localconhecido de reuniões dos insurgentes". Horas antes, dois soldados norte-americanos morreram com aexplosão de uma bomba na região de Samarra, 125 km ao norte deBagdá; outros três soldados ficaram feridos. Não é possívelapurar detalhes porque o site do Comando Central dos EUA(www.centcom.mil) está bloqueando o acesso por computadores nãosituados nos EUA. Na cidade de Husayba, perto da fronteira síria (oeste doIraque), soldados norte-americanos demoliram um prédio de trêsandares que, segundo porta-vozes militares dos EUA, era usadopela guerrilha iraquiana. Na região de Tikrit (norte do Iraque), um helicóptero Apachematou sete iraquianos suspeitos de estarem preparando um ataquecom foguetes contra uma base norte-americana. As mortes ocorridas hoje elevam para 399 o número demilitares norte-americanos no Iraque desde o começo da guerra,em 20 de março; 260 dessas baixas aconteceram depois de 1º demaio, quando o presidente George W. Bush declarou os combatesencerrados. Ao todo, as forças que invadiram e ocupam o Iraquecontabilizam 476 militares mortos desde o início do conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.