Mais escudos humanos se dirigem ao Iraque

Voluntários do Ocidente e de países árabes estão se preparando para viajar para o Iraque com a finalidade de servirem de escudos humanos, no caso de os EUA e aliados decidirem atacar o país. Na semana passada, a imprensa iraquiana registrou a chegada de milhares de cidadãos árabes e de outros países.Um primeiro grupo de jordanianos partirá de Amã rumo a Bagdá no dia 16, anunciou hoje o Comitê de Mobilização Nacional Jordaniana para a Defesa do Iraque. Segundo o chefe da entidade, Helem Fayez, eles representam diversas categorias sociais do reino. O comitê é formado por membros de partidos políticos, sindicatos e cidadãos.Numa entrevista ao diário turco Cumhuriyet, o vice-primeiro-ministro iraquiano, Tareq Aziz, convidou a todos os "defensores civis" a irem a seu país para tomar parte da mobilização dos voluntários para proteger "armazéns, refinarias de petróleo e usinas hidrelétricas". Aziz não usou os termos "pacifistas", nem "escudos humanos", e frisou que eles não serão levados para fábricas, complexos industriais e edifícios públicos que possam ser alvo de bombardeios. "Que venham instalar-se em torno dos lugares de que necessitamos para sobreviver, e também para ajudar na defesa civil", frisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.