Mais indianos aderem ao boicote de produtos dos EUA

Proprietários muçulmanos de hotéis e restaurantes uniram-se hoje à uma campanha na Índia para boicotar produtos britânicos e norte-americanos, particularmente os refrigerantes Coca-Cola e Pepsi, em protesto contra as mortes de civis na ofensiva militar no Afeganistão. "Os Estados Unidos estão fazendo chover bombas em áreas civis. As vítimas inocentes estão crescendo a cada dia", disse Shahbuddin Sheikh, presidente da Associação de Hoteleiros da Índia, que foi formada hoje mesmo, ao justificar a adesão ao boicote. Sheikh disse que o grupo já conta com cerca de 200 membros em Bombaim. "Mas esperamos o apoio de mais de 3.000 hotéis nos próximos dias. Esta campanha continuará até que os Estados Unidos reconsiderem sua estratégia no Afeganistão". Segundo Sheikh, cigarros e sorvetes, tais como Walls e Baskin Robbins, também serão boicotados. Na cidade de Hyderabad, no sul do país, em protesto contra a morte de civis afegãos, manifestantes jogaram no chão o conteúdo de garrafas de Coca e Pepsi. No início deste mês, mais de 40 clérigos muçulmanos do Estado nortista de Uttar Pradesh afirmaram que iriam exortar seus fiéis durante as orações para que boicotassem produtos norte-americanos e britânicos em protesto contra os bombardeios no Afeganistão. Leia o especial

Agencia Estado,

30 Outubro 2001 | 14h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.