Mais quatro soldados da Otan morrem no Afeganistão

Quatro integrantes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) morreram hoje no Afeganistão, em explosões nas regiões norte e sul do país, segundo informações da força internacional. Um dos mortos era americano, e a nacionalidade dos demais não foi informada. Com essas perdas, subiu para 46 o número de militares estrangeiros mortos no Afeganistão, de acordo com um levantamento da agência de notícias Associated Press. O período é de tensão principalmente para os Estados Unidos, que tiveram 66 baixas em julho, o pior mês para as forças americanas no Afeganistão desde a invasão em 2001.

AE-AP, Agência Estado

23 de agosto de 2010 | 12h13

Ontem, quatro soldados dos Estados Unidos morreram em combates no leste e no sul do país. Os combates se intensificaram, em meio ao aumento do contingente de tropas estrangeiras que enfrentam o Taleban para cerca de 120 mil soldados, entre eles mais de 78 mil americanos. As tropas estrangeiras estão travando combates no sul e nas montanhas do leste do país, onde os insurgentes se estabeleceram. Além disso, os milicianos atacam em zonas do norte e do oeste do país, onde anteriormente eles não eram muito ativos.

Enquanto isso, o presidente afegão, Hamid Karzai, defendeu sua decisão de dissolver as companhias privadas de segurança que operam no país, afirmando que elas minam a polícia e o Exército e contribuem para a corrupção. Karzai ordenou na semana passada que as companhias afegãs e estrangeiras de segurança parem de operar até o fim do ano, apesar das preocupações americanas de que o prazo curto possa trazer riscos para os projetos de desenvolvimento protegidos por esses guardas privados.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoguerraOtanEUAsoldados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.