Mais rebeldes desertam da guerrilha na Colômbia

Dando continuidade à onda de deserções nos grupos rebeldes, um chefe da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) se entregou nesta segunda-feira à polícia no município de San Luis, no noroeste do país. A polícia do departamento (Estado) de Antioquia confirmou para a deserção de William Alfonso Forero, vulgo "Carlos Alberto Flote", e assegurou que seus antecedentes estão sendo investigados. Segundo as rádios locais, o rebelde seria o chefe político da Frente 9 das Farc, que opera em Antioquia e teria participado de diversas negociações de paz com autoridades nacionais e regionais. Entre 1º de janeiro e 23 de maio, 611 combatentes desertaram dos grupos armados, segundo estatísticas do ministério da Defesa. Esta cifra é quase o dobro do registrado no mesmo período em 2002. Forero é o segundo dirigente de médio escalão das Farc a se entregar em um mês, depois da desmobilização, em 25 de abril, do chefe da Frente 46, Rafael Rojas.O governo estimulou as deserções com um decreto em que contempla apoio em matéria de saúde, educação e capacitação profissional para os integrantes do grupos armados que se reintegrarem à vida civil. A aposta do governo é de que até o final de 2003, cerca de 6.000 rebeldes e paramilitares tenham desertado. Em 2002, esse número foi de 1.200. Além disso, na cidade de Medellín foram capturados hoje 10 membros do insurgente Exército de Libertação Nacional (ELN), entre os quais estaria um comandante adjunto do segundo maior grupo guerrilheiro da Colômbia, identificado como "Ezequiel". Há indicações de que ele exercia a função de administrador financeiro e de logística das frentes do ELN que operam em Antioquia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.