REUTERS/Damir Sagolj
REUTERS/Damir Sagolj

'Mais seguro que Londres': Coreia do Norte abre portas para turistas russos

O isolado país, que enfrenta problemas econômicos ampliados por sanções, quer tornar o turismo uma fonte de renda

O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2017 | 21h55

MOSCOU  - A Coreia do Norte abriu suas portas para turistas russos, emitindo uma licença para que a primeira agência de viagens em Moscou prometa a clientes “total imersão” na cultura do país e divertimento “mais seguro do que uma caminhada noturna em Londres”.

A NKOREAN.RU, uma companhia russa licenciada pelo governo da Coreia do Norte, oferece passeios organizados individualmente ou em grupos de até 10 pessoas “para mostrar a viajantes a vida multifacetada deste mais fechado dos países”.

Hóspedes na Coreia do Norte precisam necessariamente ser “checados” antes de suas viagens e estarão sempre acompanhados de um guia que monitorará o “comportamento adequado do turista e garantir sua segurança”. Fotografias de instalações estratégicas e militares são proibidas e longas conversas com moradores “não são recomendadas”.

A Coreia do Norte realizou dois testes nucleares e dezenas de mísseis desde o ano passado, aumentando significativamente tensão sobre a fortemente militarizada Península Coreana e em desafio às resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Dois testes de mísseis balísticos intercontinentais em julho desencadearam uma nova rodada de sanções mais firmes. Confrontado com problemas econômicos ampliados pelas múltiplas sanções, o governo de Pyongyang está interessado em desenvolver turismo para gerar renda.

 O passeio mais caro, uma “total imersão na cultura da Coreia do Norte” de 15 dias e custando US$ 1.997, inclui visitas a uma fazenda, uma fábrica de água mineral, um templo budista, passeios nas montanhas e uma introdução à culinária local. Visitas a diversos museus dedicados ao líder fundador Kim Il-sung também estão disponíveis. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.