AFP PHOTO / JORGE GUERRERO
AFP PHOTO / JORGE GUERRERO

Mais três empresas espanholas decidem retirar suas sedes da Catalunha

Companhias argumentam que decisão foi tomada em razão da turbulência causada pelo movimento separatista da região

O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2017 | 11h31

MADRI - Outras três empresas espanholas anunciaram na noite de segunda-feira 9 que vão se juntar ao grupo de companhias que estão retirando suas sedes da Catalunha, em razão da turbulência causada pelo movimento separatista da região.

+ Para lembrar: Catalunha foi declarada Estado em 1934, mas apenas por 10 horas

Abertis Infraestructuras, Cellnex Telecom e Inmobiliaria Colonial decidiram transferir suas sedes para a capital espanhola, Madri, ao menos temporariamente.

+ Plebiscito catalão reaviva desejos nacionalistas dos Bálcãs

"Em razão da insegurança legal causada pela atual situação política na Catalunha, a diretoria concordou de forma unânime em mudar sua sede legal para Madri pelo tempo que a situação continuar", informou a Abertis em comunicado.

Ao longo da última semana, várias empresas decidiram mudar suas sedes da Catalunha para outras partes da Espanha em meio a preocupações com a possível declaração de independência da região, incluindo o Banco de Sabadell e o CaixaBank, dois dos maiores bancos do país.

Na sexta-feira, o governo espanhol divulgou um decreto facilitando as regras para empresas transferirem suas sedes.

A partir das 13h (em Brasília), o líder regional da Catalunha, Carles Puigdemont, deverá discursar no Parlamento sobre o resultado do plebiscito do dia 1.º, quando os catalães votaram pela separação da região. O pleito foi considerado ilegal por Madri. / Dow Jones Newswires

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.