Mais um americano morre em patrulha no Iraque

Um soldado americano foi morto a tiros durante uma patrulha na região central do Iraque. O ataque de hoje ocorreu nas proximidades da cidade de Balad, 90 km ao norte da capital, informou o major William Thurmond, um porta-voz do Exército dos EUA. Ele não deu detalhes do incidente. Dezenas de soldados dos EUA já foram mortos ou feridos numa série de ataques na região central do país desde o fim da guerra aberta, dois meses atrás.Em Bagdá, o administrador americano, Paul Bremer, reuniu-se com o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, o novo representante da ONU no Iraque. A ONU se encarregará de tarefas como a assistência humanitária, reconstrução da infra-estrutura destruída pela guerra e o estabelecimento das instituições governamentais, locais e nacionais, como as forças policiais e os tribunais. OposiçãoA principal coalizão oposicionista iraquiana criticou um novo plano da administração dos EUA, de postergar a realização de uma assembléia nacional e de eleições para o novo governo do Iraque. "Acreditamos que a postergação é uma regressão de promessas anteriores e acordos feitos com a oposição iraquiana relativos ao estabelecimento de uma autoridade interina no Iraque", denunciou Entifadh Qanbar, um porta-voz do Congresso Nacional Iraquiano, que até abril era um grupo exilado baseado em Londres. Qanbar informou que o chamado Conselho da Liderança - um grupo de líderes políticos iraquianos considerado o possível núcleo de um novo governo - decidiu na segunda-feira levar à frente a reunião da assembléia nacional. "O Conselho da Liderança está unido em relação a isso", relatou. "A conferência nacional é um esforço liderado por iraquianos. Não é assunto dos americanos". Oficiais da Autoridade Provisória da Coalizão, liderada pelos EUA, haviam anunciado no domingo que um novo grupo de assessoramento formado por 25 a 30 proeminentes iraquianos seria criado para colaborar na administração do país, postergando a conferência que deveria redigir uma nova Constituição e eleger um governo interino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.