Mais um membro de seita japonesa é sentenciado à morte

Seiichi Endo, um ex-líder da seita apocalíptica que perpetrou um ataque com gás sarin no metrô de Tóquio há mais de sete anos, matando 12 pessoas e ferindo milhares de outras, foi sentenciado à morte nesta sexta-feira, informou o responsável pela Corte Distrital da capital japonesa, Emi Shimoyama.Endo, de 42 anos, o 10º membro da seita Aum Shnri Kyo a ser enviado para o corredor da morte devido ao ataque de março de 1995, foi considerado culpado por ajudar na produção do mortífero gás sarin. Ele foi sentenciado também por auxiliar na produção do sarin utilizado em um ataque contra um bairro residencial da cidade de Matsumoto, em 1994, matando sete pessoas.Promotores argumentaram que Endo merecia a pena de morte porque sabia que seu trabalho poderia ser utilizado contra pessoas inocentes, possivelmente levando-as à morte. Até agora, a promotoria pediu pena de morte para 11 membros da seita. Com o veredito desta sexta, 10 já receberam sentença capital, mas alguns deles entraram com apelo e nenhum foi executado.O guru da Aum Shinri Kyo, Shoko Asahara, ainda está sendo julgado pela acusação de ter planejado o ataque no metrô e outros assassinatos.Segundo a polícia, entre os membros da seita, cujo número deve chegar a 1.000, encontram-se 650 extremistas que cortaram relações sociais e familiares e atualmente vivem em áreas pertencentes ao grupo. Mais da metade dos atuais membros se uniu à seita depois do ataque no metrô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.