Mais um militar pede a renúncia de Chávez

Mais um militar pediu a renúncia do presidente da Venezuela Hugo Chávez. Em entrevista concedida em Caracas, o vice-almirante das forças navais, Carlos Molina Tamoyo, atualmente embaixador da Venezuela na Grécia, convocou seus colegas e o povo a aderirem ao pedido de renúncia de Chávez. "Convoco as Forças Armadas nacionais e ao povo para que manifestem publicamente sua desaprovação à posição antipatriótica de Hugo Chávez e solicitem sua renúncia", disse o vice-almirante. Há mais de uma semana, outros dois militares pediram a renúncia de Chávez, levando várias pessoas a protestar nas ruas de Caracas. Tamoyo disse ainda que se Chávez não renunciar, o Supremo Tribunal de Justiça deve acioná-lo judicialmente. Tamoyo acusou Chávez e a Assembléia Nacional, assim como a Corte Suprema, o conselho eleitoral e o Ministério das Finanças, dominados pelos aliados de Chávez, de tentarem impor um regime totalitarista na Venezuela. Segundo Tamoyo, Chávez afastou o país de seus parceiros tradicionais, como os EUA, e prejudicou os interesses do país ao aproximar-se de Cuba e outros governos comunistas ou de esquerda. As informações são das agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.