Mais um soldado declara-se culpado de abusos em Abu Ghraib

Mais um dos sete soldados americanos acusados de abusos contra prisioneiros iraquianos no presídio de Abu Ghraib declarou-se culpado, foi rebaixado e perdeu meio salário, informa um porta-voz do Exército. Megan Ambuhl, de 30 anos, confessou abandono do dever por não ter impedido ou denunciado os maus-tratos cometidos na prisão. Ela foi rebaixada a recruta.O advogado dela, Harvey J. Volzer, diz que Ambuhl não aparece em nenhuma das fotos humilhantes tiradas de iraquianos em Abu Ghraib. Ela poderia ter sido condenada a 7 anos de prisão como cúmplice de Lynndie England, a militar fotografada usando uma coleira para segurar um iraquiano.O sargento Ivan Frederick foi condenado, em 21 de outubro, a oito anos de prisão, depois de declarar-se culpado em oito acusações ligadas ao escândalo de Abu Ghraib. O soldado Jeremy Sivits foi condenado a um ano, em maio, depois de aceitar a culpa em três acusações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.