Major pede que Pinochet se responsabilize por crimes

Um major da reserva do Exército chileno, condenado à prisão perpétua pelo assassinato de um líder sindical em 1982, exigiu que o general Augusto Pinochet assuma sua responsabilidade pelos abusos cometidos durante a ditadura militar no Chile (1973-1990). Carlos Herrera Jiménez disse que o ex-ditador Pinochet, de 88 anos, deve assumir por "sua honra de soldado" os excessos cometidos, esteja ele "doente, são ou preso". Em sua opinião, esse deve ser "o primeiro passo para uma conciliação nacional".Herrera fez as declarações nesta sexta-feira em entrevista à televisão estatal chilena, antes de começar a cumprir sua sentença na penitenciária militar de Punta Peuco, 40 quilômetros ao norte de Santiago. "Ele era o comandante em chefe do Exército naquele momento, o general Augusto Pinochet, esteja ele doente ou não, preso ou livre, são ou não, ao ser reconhecido como um soldado, deve dar um passo de honestidade, de honra militar", declarou Herrera.O oficial do Exército foi o autor material do seqüestro e morte do sindicalista Tucapel Jiménez, um ferrenho opositor da ditadura do general Pinochet. O crime ocorreu em fevereiro de 1982. Jiménez liderava um movimento de unidade sindical que causou preocupação ao governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.