REUTERS/Jamal Saidi
REUTERS/Jamal Saidi

Malala pede US$ 1,4 bilhão anuais para crianças sírias

Ativista fez o apelo a Obama, dias antes de reunião de doadores

O Estado de S. Paulo

29 Janeiro 2016 | 07h00

A ganhadora do Nobel da Paz Malala Yousafzai, uma paquistanesa de 17 anos, pediu aos futuros participantes da reunião de doadores à Síria, que será realizada no dia 4 em Londres, uma ajuda de US$ 1,4 bilhão anuais para a educação das crianças.

O pedido de Malala, dirigido ao presidente americano, Barack Obama, e publicado na página da internet Change.org, havia conseguido, na tarde desta quinta-feira, mais de 65 mil assinaturas.

"Convido os governantes e outros doadores a contribuírem com ao menos US$ 1,4 bilhão anuais durante os próximos três anos, para assegurar que todas as crianças sírias tenham a oportunidade de receber uma educação", disse a petição, redigida junto a uma jovem refugiada síria, Muzoon Almellehan.

Na terça-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirmou que a Síria precisará de US$ 1,2 bilhão em 2016. Líderes de todo o mundo participarão, na próxima quinta-feira, da conferência de Londres para discutir a ajuda aos 13,5 milhões de pessoas em situação vulnerável ou deslocados na Síria, assim como os 4,2 milhões que buscaram refúgio nos países vizinhos, como Jordânia e Líbano. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Malalacriançassíriaapelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.