AP
AP

Malásia declara que desaparecimento do voo MH 370 foi 'acidente'

Avião da Malaysia Airlines desapareceu em março do ano passado; fuselagem não foi encontrada por equipes de buscas 

O Estado de S. Paulo

29 de janeiro de 2015 | 09h28


BANGCOC - As autoridades da Malásia declararam oficialmente nesta quinta-feira, 29, o desaparecimento do voo MH 370 da Malaysia Airlines um acidente. O avião desapareceu no dia 8 de março de 2014, e as 239 pessoas que estavam a bordo foram dadas como mortas.

O diretor-geral de Aviação Civil, Azharuddin Abdul Rahman, qualificou como "altamente improvável" a possibilidade de encontrar sobreviventes após 327 dias e considerando as condições da região do oceano Índico onde se estima que o avião caiu.

"É com a mais profunda dor no coração que em nome do governo da Malásia declaramos o desaparecimento do voo MH 370 da Malaysia Airlines um acidente", disse Azharuddin em mensagem transmitida pelo canal RTM.

O diretor-geral afirmou que o capítulo 1, anexo 13 da Convenção Internacional da Aviação Civil, chamada de "Convenção de Chicago", declara que a definição do termo "acidente" abrange "o avião está desaparecido". "Também declara que 'um avião é considerado desaparecido quando as buscas oficiais tenham se encerrado e os destroços não tenham sido localizados'."

A declaração oficial como acidente permitirá aos familiares das vítimas iniciar processo para pedir indenizações, que deverão ser assumidas pela companhia aérea.

O diretor-geral disse que a busca dos destroços do avião "continua sendo uma prioridade" e será mantida no sul do oceano Índico, onde os especialistas calculam que a aeronave caiu, com a colaboração da China e Austrália. Segundo Azharuddin, os integrantes das equipes de buscas levam em conta todas as pistas e avaliam todos os dados disponíveis que possam rastrear a aeronave, mas ainda não foram capazes de localizar o avião.

Azharuddin afirmou ainda que a polícia malásia segue realizando uma investigação criminal sobre o caso e representantes de sete países realizam um estudo sobre questões de segurança. "Nesta conjuntura, não há evidências para fundamentar qualquer especulação como a causa do acidente."

O avião da Malaysia Airlines desapareceu após mudar de rota em uma "ação deliberada", segundo os especialistas, apenas 40 minutos após ter decolado de Kuala Lumpur com direção a Pequim. Desde essa data se desconhece seu paradeiro e não foram encontrados os destroços da fuselagem.

As equipes de resgate seguem a busca submarina em uma zona do oceano Índico de 60 mil quilômetros quadrados situada ao longo de um arco que se estende em frente à costa ocidental da Austrália. /AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
MalásiaMH370Malaysia Airlines

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.