Malásia prende 10 ligados a terrorista do atentado frustrado

Suspeitos seriam membros de grupo terrorista desmantelado junto com a inteligência estrangeira

Agência Estado

28 de janeiro de 2010 | 07h17

O governo da Malásia anunciou nesta quarta-feira, 27 ter prendido dez suspeitos de terrorismo acusados de ter ligações com o estudante nigeriano responsável pela fracassada tentativa de explodir um avião perto de Detroit no dia de Natal.

 

Dos detidos, nove são estrangeiros. Todos são acusados por "atos de terrorismo", e, segundo as autoridades malaias, são membros de um grupo terrorista internacional desmantelado numa operação conjunta com agentes de inteligência estrangeiros.

"Sabe-se que agências antiterrorismo estrangeiras informaram as autoridades malaias que os 10 estão ligados a Abdulmutallab e que eles estavam na Malásia", disse o jornal New Straits Times, ligado ao governo, sem citar fontes.

O ministro do Interior da Malásia, Hishammuddin Hussein, informou que os 10 detidos ficarão sob a Lei de Segurança Interna, que permite a detenção por tempo indefinido sem julgamento.

Os suspeitos detidos são da Jordânia, da Nigéria, da Síria e do Iêmen, segundo ativistas do Movimento pela Abolição da Lei de Segurança Interna. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Malásiaterrorismoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.