Malásia quer encontrar provas de que avião foi abatido

A Malásia pretende enviar uma equipe de pesquisa para o local da queda do avião da Malaysia Airlines na Ucrânia antes que o inverno chegue para recolher evidências físicas que provem que a aeronave foi abatida, informou o primeiro-ministro malaio, Najib Razak.

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2014 | 19h02

Razak disse que o governo tem relatórios de inteligência "bastante conclusivos" sobre o que aconteceu com o avião transportando 298 pessoas, mas provas devem ser coletadas para que não fiquem dúvidas quanto à derrubada da aeronave, caso o assunto vá à Justiça.

"É por isso que estamos muito, muito ansiosos para voltar ao local do acidente antes do inverno. Precisamos de pelo menos algumas semanas, não apenas para procurar partes de corpos de vítimas, mas também para reunir evidências físicas", comentou Razak. "Uma vez que esse processo seja concluído, vamos olhar para o lado criminal, de quem é responsável por este crime atroz", acrescentou.

O avião da Malaysia Airlines caiu no dia 17 de julho, matando todos a bordo, quando fazia a rota Amsterdam - Kuala Lumpur, passando pelo espaço aéreo da Ucrânia, sobre uma área controlada por separatistas pró-Rússia. Pesquisas no local do acidente foram interrompidas em 6 de agosto, devido a ameaças decorrentes do conflito na região.

Os rebeldes pró-Rússia na Ucrânia negaram publicamente a responsabilidade pela queda do avião, mas um dos separatistas disse à Associated Press que eles estavam envolvidos. Fonte: Associated Press

Mais conteúdo sobre:
MalásiaMalaysia Airlinesavião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.