Malauí muda bandeira e ameaça prender quem use a antiga

Nova bandeira, lançada no dia 7, tem sol cheio no lugar de sol nascente, para simbolizar desenvolvimento do país.

BBC Brasil, BBC

16 de agosto de 2010 | 09h18

O governo do Malauí advertiu seus cidadãos de que quem continuar a usar a bandeira nacional antiga do país pode ser processado e preso.

A nova bandeira foi lançada no dia 7 deste mês pelo presidente Bingu wa Mutharika, para simbolizar o desenvolvimento do país desde a sua independência da Grã-Bretanha, em 1964.

A principal mudança na bandeira é a substituição de um sol nascente em vermelho na parte superior da bandeira por um sol completo em branco no centro.

Em uma entrevista coletiva no domingo, o ministro da Informação, Symon Vuwa Kaunda, afirmou que o uso da bandeira antiga é contra a lei.

Segundo ele, as novas bandeiras já estão disponíveis em lojas do governo.

Liberdade e esperança

Durante o lançamento da nova bandeira, no dia 7, o presidente Mutharika disse que o Malauí se desenvolveu muito nas últimas décadas e que não faz mais sentido descrever o Malauí como "uma nação no amanhecer" após 46 anos de independência.

Na bandeira antiga, o sol nascente representava o amanhecer da liberdade e da esperança no continente africano.

A bandeira tinha ainda uma faixa preta no topo, simbolizando o povo da África, uma vermelha no meio, simbolizando o sangue derramado nas lutas pela independência, e uma verde para lembrar a vegetação africana.

A nova bandeira traz a faixa vermelha no topo, a preta no meio e a verde na parte inferior. O sol, que na bandeira antiga era vermelho, sobre a faixa preta superior, agora é branco, no meio da bandeira.

A mudança na bandeira gerou uma grande discussão no país, com vários grupos questionando o custo da alteração em um país pobre como o Malauí.

"Não concordamos com as mudanças propostas", afirmou um grupo de padres católicos em um comunicado. "Será que teremos que mudar tudo o que tem a bandeira antiga? Podíamos usar melhor esse dinheiro, considerando que neste ano algumas partes do Malauí passarão fome", disse o grupo.

A mudança também foi criticada por grupos de oposição. "A bandeira antiga tem muita história e significado", afirmou Nancy Tembo, porta-voz do Partido do Congresso do Malauí, o principal grupo opositor do país. "Não deveríamos brincar com nossos símbolos históricos somente para atender ao ego de alguém."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.