Malvinas: 40% dos soldados argentinos tentaram suicídio

Cerca de 39,1% dos ex-combatentes argentinos da Guerra das Malvinas tentaram o suicídio, ao tempo que 78,2% sofrem de distúrbios relacionados ao sono, segundo revela um estudo divulgado nesta segunda-feira, 2, dia em que se completam 25 anos do conflito. Além disso, 65,2% dos veteranos de guerra consultados confessaram ter pensado ao menos uma vez que seria melhor "estar morto", enquanto 69,5% lembram "com muita intensidade" dos fatos vividos nas Ilhas Malvinas, de acordo com o trabalho elaborado por especialistasdo Programa de Ajuda Mútua Integral argentino (Pami). O relatório, realizado em um universo de 200 ex-combatentes, mostra o sofrimento dos veteranos, e propõe tratamentos psicológicos, sociais e médicos para que possam superar seus problemas, derivados da guerra, travada em 1982, entre a Argentina e o Reino Unido, e que terminou com a rendição do país sul-americano. Cerca de 47,8% dos entrevistados reconheceram consumir álcool de maneira exagerada. "Muitos deles, ao voltar e não conseguir uma reinserção social adequada, sem ajuda terapêutica, encontraram no álcool aquilo que os fazia esquecer, e ajudava a diminuir sua angústia existencial",explicam os especialistas. Outros 65,2% disseram ter recorrido a um psicólogo ou psiquiatra alguma vez, ao tempo que 86,9% se sentem mais irritáveis que as demais pessoas ao seu redor. Em relação aos sintomas apresentados pelos ex-combatentes, o trabalho enumera a "angústia, o temor, a culpa por estar vivos, patologias relacionadas ao sono, ataques de pânico, sensação de sufocamento, crises de choro e nervosismo". A pesquisa também analisou o comportamento das pessoas mais próximas dos veteranos, e concluiu que 53,3% das esposas consultadas temem as reações violentas de seus maridos. Neste sentido, dois de cada cinco filhos de ex-combatentes apresentam dificuldades de conduta e problemas de aprendizagem, segundo os resultados do relatório. Diversos atos e atividades homenagearão na segunda-feira os veteranos e mortos durante a guerra. Estima-se que mais de 350 combatentes argentinos tenham morrido durante a guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.