Manchas de óleo chegam à costa da França

Pequenas manchas de óleo chegaram hoje, à costa sudoeste da França, e cientistas investigavam se elas provinham do navio-tanque afundado Prestige ou de alguma outra fonte. Gotas de combustível foram encontradas ao longo de uma faixa de 11 quilômetros na praia de Biscarrosse, na região de Landes. Amostras foram enviadas a um laboratório, e os resultados da análise devem sair em alguns dias, de acordo com a Marinha. O casco do navio petroleiro Prestige rachou durante uma tempestade no dia 13 de novembro. O navio partiu-se em dois e afundou seis dias depois na costa nordeste da Espanha. O óleo, grosso e com consistência de goma, enegreceu centenas de quilômetros da costa espanhola. A Franca também se prepara para danos similares, mas a mancha ainda não atingiu suas praias. O óleo encontrado na terça-feira poderia ser do Prestige, ou de outro barco que esteja esvaziando seus tanques no mar, disse Sylvain Le Berre, da Marinha. A expectativa é de que a limpeza leve um dia. Na segunda-feira, oficiais franceses disseram que as manchas de óleo do Prestige mais próximas estavam a 100 quilômetros da costa francesa. Le Berre disse que é possível que o mar agitado tenha impedido outros oficiais de constatar outras manchas perto da costa. O Prestige já derramou cerca de um quarto das 77 mil toneladas métricas (77,6 milhões de litros) do óleo combustível que estava carregando. sujando a costa das regiões espanholas da Galícia, Astúrias e Cantábria, e forçando milhares de pescadores e outros trabalhadores marítimos a viver de donativos do governo. Afundado a uma profundidade de 3,4 quilômetros, o navio ainda está vazando. Recentemente, fortes ventos e ondas impediram um submarino de tapar seus buracos. Segundo estudo publicado hoje pelo jornal La Voz de Galícia, os danos a longo prazo poderiam custar até 100 milhões de euros - muito mais do que o esperado pelo governo espanhol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.