Ulli Michel/Reuters
Ulli Michel/Reuters

Mandela comemora 20 anos de sua libertação na África do Sul

Líder foi o principal responsável pela luta contra o apartheid, pela democratização e pela liberdade do país

Reuters,

11 de fevereiro de 2010 | 04h00

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela comemora nesta quinta-feira, 11, o 20º aniversário de sua libertação da prisão. O líder sul-africano, que ficou preso por 27 anos e ainda assim não abandonou os ideais de democracia e liberdade, é o maior símbolo do combate ao apartheid e o principal responsável pela democratização do país africano.

 

Veja também:

especialMandela: 20 anos de liberdade

video Trailer de 'Invictus', filme sobre Mandela

 

Mandela dedicou sua vida à luta contra o domínio branco, iniciado em 1948 quando o Partido Nacional assumiu o poder. Antes seguidor das formas de protesto pacíficas de Ghandi, foi posteriormente um dos primeiros a defender a resistência armada ao Apartheid, tendo entrado na clandestinidade em 1961 para fundar a ala armada do CNA, Umkhonto we Sizwe (a Lança da Nação).

 

O líder sul-africano, laureado com o Prêmio Nobel da Paz de 1993, liderou a resistência no país e recebeu apoio de toda a comunidade internacional. Mandela emocionou o mundo com seu discurso no julgamento de Rivonia. "Tenho defendido o ideal de uma sociedade democrática e livre na qual todas as pessoas convivam em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal pelo qual espero viver e que espero alcançar. Mas, se for preciso, é um ideal pelo qual estou preparado para morrer", disse o líder, que em 1964 Mandela foi condenado à prisão perpétua.

 

Mandela foi libertado em 11 de fevereiro de 1990 depois de o então presidente F. W. de Klerk revogar a ilegalidade do CNA e iniciar um regime mais democrático. Os dois líderes governaram juntos no governo de transição até 1994, quando Mandela se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul e encerrou de uma vez por todas o apartheid.

 

Mandela manteve-se ativo mesmo depois de 1998, quando já com 80 anos deixou a presidência. O sul-africano passou então a empreender uma luta contra a Aids, um dos principais problemas de saúde da África. Mandela ainda é considerado uma das forças políticas mais influentes no país e se tornou um dos maiores símbolos da luta pela liberdade e pela democracia em todo o mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.