Mandela cria comissão para crises internacionais

O grupo convocado inclui ex-presidentes e um Prêmio Nobel da Paz

EFE

14 Julho 2007 | 06h54

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela promove uma iniciativa para que ex-líderes mundiais atuem como assessores para a resolução de crises internacionais no mundo todo, revelou neste sábado o jornal britânico "The Daily Telegraph". O grupo reunido por Mandela inclui os ex-presidentes americanos Jimmy Carter e Bill Clinton, além do arcebispo anglicano Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz em 1984 por sua contribuição na luta contra o regime segregacionista do "apartheid". Outros integrantes do grupo são o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan; a ex-presidente da Irlanda Mary Robinson, também Alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos de 1997 a 2002; e o bengalês Muhammad Yunus, conhecido como o "banqueiro dos pobres", Prêmio Nobel da Paz 2006. O projeto será apresentado na próxima quarta-feira em Johanesburgo. O ex-presidente sul-africano realiza assim o seu sonho de aproveitar a experiência de antigos líderes mundiais para buscar novas formas de enfrentar problemas de longa duração, como a aids e as guerras civis. Segundo o jornal, a velha idéia se concretizou após uma reunião de Mandela com o fundador do grupo Virgin, Richard Branson, e o músico e ativista dos direitos humanos Peter Gabriel. Os dois também estarão presentes no lançamento da iniciativa. Também fará parte da iniciativa a mulher de Mandela, Graça Machel, presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade e Prêmio Príncipe de Astúrias de Cooperação Internacional 1998.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.