Mandela 'parece bem', afirma presidente da África do Sul

Aos 94 anos, líder da luta contra o apartheid está internado desde sábado em um hospital militar de Pretória para exames

PRETÓRIA, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2012 | 02h02

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela permaneceu, pelo segundo dia consecutivo, no hospital militar de Pretória para exames médicos. Apesar de rumores de que sua saúde tem se deteriorado, o governo sul-africano informou apenas que Mandela está "confortável e sendo bem cuidado".

O presidente, Jacob Zuma, visitou Mandela, de 94 anos, segundo um informe oficial, que não forneceu mais detalhes sobre a saúde do ex-líder. O porta-voz de Zuma afirmou que Mandela "parece bem depois de uma noite repousante".

No sábado, o gabinete de Zuma declarou que não havia motivos para alarme e os cuidados que Mandela está recebendo no hospital militar são "compatíveis com sua idade". De acordo com o jornal sul-africano The Sunday Times, uma pessoa próxima à família afirmou que Mandela teria "parado de falar" no dia seguinte à hospitalização.

Mandela foi um dos líderes na luta contra o regime do apartheid. Preso no dia 5 de agosto de 1962, próximo à cidade de Howick, pouco depois de fundar o braço armado do Congresso Nacional Africano (CNA), ele permaneceu na cadeia por 27 anos. Libertado, foi presidente da África do Sul, entre 1994 e 1999, e prêmio Nobel da Paz, em 1993.

Cuidados médicos. O líder da luta contra o regime segregacionista permanece sob cuidados médicos desde que foi internado, em janeiro de 2011, em um hospital de Johannesburgo, sofrendo de complicações respiratórias.

Mandela recebeu alta um mês depois e pôde voltar para a sua casa em Houghton, subúrbio de classe alta de Johannesburgo. Dias antes de completar seu 93.º aniversário, em julho de 2011, o ex-presidente se mudou para uma casa em Qunu, lugar onde passou sua juventude - e foi acompanhado por uma equipe médica.

Em fevereiro, Mandela foi internado novamente em um hospital de Johannesburgo com dores abdominais e submetido a uma laparoscopia, mas teve alta no dia seguinte. Três meses depois, ele apareceu na TV em imagens divulgadas pela rede pública sul-africana SABC.

A gravação mostrava o ex-presidente sentado em uma poltrona, enquanto Baleka Mbete, presidente do Congresso Nacional Africano (CNA) - partido que governa a África do Sul desde que Mandela chegou ao poder, em 1994 - entregava-lhe uma tocha comemorativa da organização. Ontem, muitos sul-africanos fizeram vigília pela saúde do ex-líder, que continua bastante popular na maior economia da África. / AFP, AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.