Mandela passa bem após retirada de pedra nos rins

O ex-presidente da África do Sul e prêmio Nobel da Paz, Nelson Mandela, recupera-se de uma bem-sucedida cirurgia realizada neste sábado para a retirada de pedras nos rins, informou a presidência do país. Mandela, de 94 anos, ainda está em recuperação de uma infecção pulmonar.

AE, Agência Estado

15 de dezembro de 2012 | 18h05

"O procedimento foi um sucesso e ele está se recuperando", disse o porta-voz da presidência, Mac Maharaj, em nota. O boletim informa ainda que a equipe médica que cuida de Mandela aguardava melhoras da infecção para conduzir a cirurgia. Mandela, um ícone na luta contra o apartheid na África do Sul, foi hospitalizado no último dia 8.

Mandela foi o primeiro presidente eleito democraticamente e buscou reunificar o país, após séculos de divisão racial. Ele se afastou da vida pública após cinco anos na presidência e, desde então, levou uma vida reservada. Sua última aparição pública foi durante a Copa do Mundo de 2010, ocorrida na África do Sul.

Mandela tem um histórico de problemas pulmonares após sofrer de tuberculose em 1988, já na parte final de seus 27 anos na prisão antes de ser solto e, logo depois, presidente. Embora médicos tenham dito na época que a doença não causou danos permanentes a seus pulmões, especialistas afirmam que a tuberculose pode causar problemas anos mais tarde.

Essa internação de Mandela, a mais longa desde que foi libertado da prisão em fevereiro de 1990, provocou preocupação crescente sobre o homem que representa as aspirações de um país que ainda enfrenta disputas raciais e pobreza.

Após o caos que cercou a estada de Mandela em um hospital público em 2011, os militares sul-africanos assumiram o controle sobre seus cuidados e o governo tomou o controle da informação sobre a sua saúde. Entretanto, as preocupações da população sobre Mandela cresceram após autoridades do governo se contradizerem nos últimos dias sobre a localização do líder sul-africano, levantando questões sobre quem de fato está cuidando dele.

Neste sábado, o Fórum dos Editores Nacionais da África do Sul emitiu um comunicado criticando o governo por não ser direto com os jornalistas sobre a internação de Mandela. O fórum disse que os jornalistas têm tentado trabalhar com o governo para definir diretrizes sobre como lidar com a cobertura sobre a saúde de Mandela, mas as autoridades se recusam a chegar a um acordo. O fórum dos editores inclui membros de jornais, emissoras de televisão e estações de rádio na África do Sul, bem como a Associação dos Correspondentes Estrangeiros da África do Sul. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Mandelacirurgiarecuperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.