Manifestação contra charges de Maomé deixa mais dois mortos

Duas pessoas morreram e 45 ficaram feridas nesta quarta-feira, no Paquistão, em mais uma violenta manifestação contra a publicação de charges de Maomé. Entre os mortos está um menino de oito anos de idade, que foi atingido por um tiro no rosto, em Ganj, zona densamente povoada da localidade de Peshawar, no noroeste do país. Durante o protesto, um restaurante da cadeia norte-americana Kentucky Fried Chicken (KFC) e cinemas de Peshawar foram incendiados, segundo testemunhas. Foram ouvidos disparos nas proximidades do restaurante em chamas. A polícia teve de usar gás lacrimogêneo e cacetetes para dispersar os milhares de manifestantes, que bloquearam as principais ruas da cidade.Além de incendiar três cinemas, a multidão colocou fogo em instalações da Mobilink, principal operador de telefonia celular do país. Muitos dos manifestantes gritavam palavras de ordem como "morte à Dinamarca". Bandeiras dinamarquesas foram queimadas. O protesto foi convocado pelo Tehrik-el-Tuhafaz-el-Namoos-el-Rasalat (Movimento de Defesa da Dignidade do Profeta), contrário às polêmicas caricaturas de Maomé, publicadas originalmente no jornal dinamarquês "Jyllands-Posten" e reproduzidas depois em muitas publicações européias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.