Manifestação contra presidente Duarte reúne milhares no Paraguai

Milhares de paraguaios saíram às ruas da capital, Assunção, em uma grande manifestação para exigir respeito à democracia e denunciar uma suposta violação da Constituição por parte do presidente Nicanor Duarte. "Se ao presidente da República restar comedimento, que renuncie a suas pretensões autoritárias, pedindo perdão por todos os seus últimos atos absurdos", disse o bispo católico Fernando Lugo, orador principal do discurso que marcou o fim do protesto. Lugo se referiu assim à campanha empreendida por Duarte para reformar a Constituição de 1992 e poder lançar sua candidatura às eleições presidenciais de 2008. A reeleição foi excluída da Carta Magna para evitar a perpetuação no poder de um governante, como ocorreu com Alfredo Stroessner (1954-1989). "Ditadura nunca mais", gritou o religioso para a multidão, que também exigiu a renúncia ou o julgamento político de cinco membros da Corte Suprema de Justiça que votaram a favor de um recurso apresentado por Duarte para assumir momentaneamente o comando do Partido Colorado, no poder desde 1947. A primeira manifestação direta contra Duarte nos 30 meses em que está no poder foi convocada pela Resistência Cidadã, movimento que reúne mais de 50 organizações, incluindo sindicatos, grupos sociais, todos os partidos de oposição e grupos religiosos. A participação superou as expectativas dos organizadores, que disseram à EFE que estiveram reunidas cerca de 40 mil pessoas.

Agencia Estado,

30 Março 2006 | 03h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.