AP
AP

Manifestação de mineiros na África do Sul deixa dois mortos

Um homem teve o corpo queimado por manifestantes e outro foi atingido por balas de borracha de policiais

estadão.com.br,

11 de outubro de 2012 | 13h41

JOHANESBURGO - Dois homens morreram durante tumultos de mineiros em greve na África do Sul. Um homem foi assassinado, a princípio por mineiros, após ter o corpo queimado, segundo um porta-voz da polícia, e outro foi atingido por balas de borracha, provavelmente disparadas pela polícia. A vítima morreu no hospital.

Os tumultos ocorreram na mina da Anglo American Patinum (Amplats). Os problemas trabalhistas causaram tumultos, com tropas de choque disparando balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a manifestação de mineiros, afirmou Gaddafi Mdoda, um dos líderes da paralisação na Amplats.

Os grevistas prometeram tornar a mina ingovernável e impedir que a maior produtora de platina do mundo contrate novos trabalhadores. "A situação continua tensa", afirmou o porta-voz da polícia Thulani Ngubane.

A violência na Amplats aumentou desde que a empresa demitiu 12 mil grevistas na última sexta-feira. Dezenas de pessoas já morreram durante as paralisações no setor de mineração da África do Sul, que começaram em agosto.

Com AP

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulminagreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.