Manifestação gigante detém turistas brasileiros em La Paz

O brasileiro Silvio Paulo Araldi nunca imaginou que sua passagem pela Bolívia, a caminho de Machu Pichu, no Peru, seria tão complicada. Com a tensão nas ruas da capital La Paz aumentando, Araldi e outros 20 turistas brasileiros que chegaram ao país no sábado acompanham os conflitos entre o Exército e manifestantes de dentro do hotel onde estão hospedados. "Nunca vivi nada parecido com isto", disse o procurador da Fazenda Nacional, em entrevista por telefone.O conflito entre militares e civis no centro da capital paralisou La Paz. "Os acessos à cidade estão completamente bloqueados, não há como entrar ou sair", relatou Araldi, cuja janela acabara de ser atingida por uma bomba de gás lacrimogêneo.O auditor da Receita Federal João Hamilton Rech, que também está hospedado no hotel, contou que o lobby estava tomado pelo gás. A falta de perspectiva de resolução preocupa os turistas, que temem a falta de alimentos. "Por enquanto ainda há comida no hotel, mas ficamos sem água quente no sábado, quando o gás foi cortado", contou Araldi.O embaixador brasileiro em La Paz, Antonino Mena Gonçalves reconhece que a situação é grave. "Não há, neste momento, possibilidade de chegar em segurança ao aeroporto", afirmou à Agência Eestado. De acordo com Gonçalves, todos os brasileiros no país já foram identificados, e a embaixada pediu que fiquem dentro dos hotéis e mantenham a calma. "Naturalmente temos planos de contingência caso a situação piore e seja necessário retirar os brasileiros, mas ainda não parece haver necessidade disso", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.