Manifestação pré-G20 reúne dezenas de milhares em Londres

Protesto de ONGs pede ações globais contra pobreza, aquecimento global e desemprego

BBC Brasil, BBC

28 de março de 2009 | 12h42

Dezenas de milhares de pessoas participaram neste sábado de uma manifestação pedindo ações globais para o combate à pobreza, contra as mudanças climáticas e pela criação de empregos, em antecipação à reunião de cúpula do G20 que ocorre na capital britânica na próxima quinta-feira.

A aliança de 150 organizações responsáveis pela manifestação, batizada de "Put People First" (Coloquem as Pessoas em Primeiro Lugar, em tradução livre), pede que os líderes do G20 cheguem a um acordo para medidas visando "um novo tipo de justiça global".

Uma grande operação de segurança foi montada para evitar casos de violência durante a manifestação, que cruzou a região central da cidade, de Embankment, às margens do rio Tãmisa, até o Hyde Park.

Por volta das 15h, a polícia estimava o número total de manifestantes em 35 mil pessoas. Não havia registros de atos de violência nem de prisões

Os organizadores se disseram satisfeitos com o número de pessoas na manifestação, mesmo com uma previsão de tempo chuvoso e frio e do noticiário que advertia sobre possíveis confusões durante a passeata.

A manifestação contou com uma grande diversidade de pessoas, incluindo famílias com crianças em carrinhos de bebês, que fizeram o percurso de cerca de 6,4 quilômetros diante de cartazes com slogans como "Capitalistas - vocês são a crise" ou "Justiça para os pobres do mundo".

Segundo o repórter da BBC Mario Cacciottolo, os manifestantes demonstravam uma clara insatisfação, principalmente com a situação econômica, mas o ambiente não era de tensão.

O protesto deste sábado é o primeiro de uma série programada por organizações não-governamentais para marcar a semana da cúpula do G20, que se reúne para discutir soluções para a atual crise econômica global.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.