REUTERS/Pawer Kopczynski
REUTERS/Pawer Kopczynski

Manifestações continuam no segundo dia da reunião da cúpula do G-20

Autoridades policiais alertaram que há risco de novos confrontos e pediu que cidadãos denunciem a presença de black blocs nos protestos

O Estado de S.Paulo

08 Julho 2017 | 08h35

HAMBURGO, ALEMANHA – Neste sábado, 8, manifestantes se reúnem pelo segundo dia seguido nas ruas de Hamburgo, onde ocorre a reunião da cúpula do G-20. Um dos grandes motes da manifestação é o acordo climático, com o presidente americano Donald Trump como principal alvo.

De acordo com os últimos balanços policiais, desde a última quinta-feira, 6, já foram detidas mais de 143 pessoas, além de 122 presos preventivamente. Até agora, mais de 200 agentes foram feridos, mas não há informações sobre manifestantes feridos.

Na última sexta, 7, manifestantes chegaram a atear fogo em viaturas e houve confronto com a polícia. Segundo autoridades, há risco de novos confrontos neste sábado. “Os manifestantes violentos seguem na cidade”, disse o senador Andy Grote, que pediu que os manifestantes pacíficos informem à polícia se verem algum “radical” infiltrado.

Grote ainda disse que, até esta manhã, havia várias marchas pacíficas convocadas, mas declarou que não pode evitar que “black blocs” se infiltrem. Segundo a polícia, já há cerca de 20 mil pessoas concentradas no centro da cidade, enquanto outras partes de Hamburgo têm protestos menores, com cerca de 1500 pessoas.

* Com informações da EFE

Mais conteúdo sobre:
G-20Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.