Manifestantes ameaçam invadir Congresso boliviano

Os milhares de manifestantes de origem indígena que exigem a renúncia do presidente boliviano, Gonzalo Sánchez de Lozada, ameaçavam invadir a sede do Congresso em La Paz. Hoje, pelo quarto dia seguido, eles ocupavam todas as entradas da cidade e não paravam de chegar dos subúrbios e municípios vizinhos.Nas ruas da capital, sindicalistas da Central Operária Boliviana, estudantes universitários, líderes da Federação de Trabalhadores da Educação Rural de La Paz e os camponeses da zona de Yungas lideravam as marchas. "Fora Goni (apelido de Sánchez de Lozada). Que morra Goni!", cantavam os manifestantes durante as passeatas que convergiam para a Praça Murillo, onde estão a sede do governo e do Congresso.Paralelamente, vários grupos de manifestantes enfrentaram policiais e militares na frente do Comando Geral da Polícia e do Ministério de Defesa, mas sem deixar feridos. Os protestos e mobilizações se repetiram na capital oficial do país, Sucre, assim como em Oruro, Potosí, Santa Cruz de la Sierra e Cochabamba - esta última a terceira cidade da Bolívia e terra dos produtores de folha de coca, liderados por Evo Morales.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2003 | 19h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.