Beatriz Bulla/ Estadão
Beatriz Bulla/ Estadão

Manifestantes começam a se reunir na região da Casa Branca para aguardar resultados

O país amanheceu sob clima tenso com a perspectiva de conflitos civis entre eleitores de lados opostos

Beatriz Bulla, correspondente, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 16h49

WASHINGTON - Eleitores começaram a se reunir na região da Casa Branca, na junção das ruas que ficou conhecida como praça Black Lives Matter Plaza desde os protestos de junho, para esperar os primeiros resultados da eleição. Por volta do horário do almoço, o quórum ainda era baixo, mas movimentos sociais chamam grupos para reuniões no local no final da tarde.

Alguns presentes falavam que estão ali para mostrar que querem que seus votos contem nessa eleição. O país amanheceu sob clima tenso com a perspectiva de conflitos civis entre eleitores de lados opostos e com a ameaça do presidente Donald Trump de judicializar o resultado eleitoral.

"Estamos aqui para demandar que todo voto seja contabilizado, que não haja supressão de votos em lugar algum, que não haja judicialização que suprima votos. Queremos mostrar que vamos lutar para que todo voto seja contabilizado", disse Kyle Bibby, de 35 anos, de uma organização de veteranos progressistas, chamada Common Defense. Integrantes do grupo estavam nos arredores da Casa Branca, mas participaram de atos na capital junto de outras organizações de pensamento semelhante, segundo ele. "Nossa batalha é nas urnas", afirmou. 

Para Entender

Os Estados que decidem a eleição americana

Estadã viajou a dez regiões que definirão o próximo presidente dos Estados Unidos para entender o que pode dar a vitória a Joe Biden ou a Donald Trump

A poucos quarteirões de distância da Casa Branca, ruas do centro da capital americana estavam vazias nesta manhã, com lojas fechadas e protegidas por tapumes para evitar depredação em caso de protestos violentos. Para Bibby, a "melhor forma de assegurar  que as coisas continuem pacíficas é contabilizar todo voto", disse. "Isso não é ameaça, mas as pessoas ficarão raivosas se os votos não forem contados", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.