Manifestantes contra e pró Chávez vão às ruas

Dezenas de milhares de pessoas marcharam pelas ruas da capital da Venezuela neste sábado para protestar contra o que chamaram de crescente autoritarismo do presidente Hugo Chávez.

AE-AP, Agencia Estado

05 de setembro de 2009 | 20h02

Um grupo de alguns milhares de pessoas, partidários de Chávez, participou de uma outra manifestação de apoio às políticas do governo. Os manifestantes contra Chávez, muitos deles usando branco, encheram as ruas de Caracas denunciando as recentes prisões de membros da oposição durante protestos e a nova lei de educação que, acreditam, pode levar ao doutrinamento nas escolas.

"É muito preocupante porque a educação é o futuro da Venezuela", disse o estudante de engenharia Carlos Delgado, de 23 anos, que reclamou do aumento da inflação e do crime após mais de uma década sob o governo Chávez. "Nós estamos há 11 anos com os mesmos rostos, os mesmos problemas e a verdade é que não vemos nenhuma solução", disse Delgado.

Carlos Garcia, funcionário administrativo de 41 anos, participou da marcha pró-governo e disse que os setores mais pobres do país conquistaram uma situação de maior igualdade no governo Chávez. Ele descartou as afirmações da oposição sobre a lei de educação, dizendo que seu objetivo é tornar o sistema mais inclusivo. Garcia também defendeu a prisão de opositores por supostos atos de violência durante protestos. "Se uma pessoa está provocando violência, ela deve ser punida", disse ele. Não houve relatos de incidentes durante as manifestações deste sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelapolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.