Manifestantes defendem ex-ditador na Guatemala

Dezenas de pessoas protestaram neste domingo do lado de fora de uma prisão na Guatemala contra a condenação de genocídio do ex-ditador Efrain Rios Montt.

AE, Agência Estado

13 de maio de 2013 | 00h41

Cerca de 50 manifestantes vestidos com roupas brancas e trajes militar gritaram "Viva Rios Montt" na prisão de Matamoros, onde o ex-ditador foi levado depois de receber uma sentença de 80 anos por acusações de genocídio e crimes contra a humanidade.

Os manifestantes disseram que o processo judicial foi marcado pela corrupção e exigiram que um tribunal superior anulasse o veredicto. Segundo os defensores de Rios, os promotores não foram capazes de provar que o Estado tinha um motivo para matar 1.771 indígenas.

Um tribunal decidiu na sexta-feira que Rios Montt tinha conhecimento dos assassinatos e não interrompeu a matança entre 1982 e 1983, o auge da brutal guerra civil da Guatemala.

Foi a primeira condenação de genocídio contra um ex-governante latino-americano em seu próprio país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GUATEMALAMANIFESTAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.